sexta-feira, 13 de março de 2015

Dengue tem que acabar: é hora de todo mundo agir.

 A professora Judite está trabalhando com os alunos do 7º ano A de nossa escola a conscientização sobre o combate à Dengue.

É fundamental conscientizar as pessoas de que combater o mosquito da dengue,e além  de campanhas educativas permanentes, requer empenho de toda a sociedade, uma vez que o Aedes aegypti pode encontrar, em cada moradia e arredores, ambiente propício para sua proliferação. Considerando os dados levantados pela Fundação Nacional de Saúde de que o mosquito vetor “foi erradicado duas vezes do Brasil, em 1955 e 1973, e que, com o relaxamento da vigilância entomológica ocorrido no final da década de 70 e início dos anos 80, foi reintroduzido, instalando-se definitivamente no país”, conclui-se que o trabalho de combate deve ser permanente e contínuo. Desse modo, algumas medidas elementares podem ser tomadas individual e coletivamente para auxiliar na erradicação do Aedes aegypti:

* Vasos de flores ou plantas – a vasilha que fica sob o vaso para recolher a água excedente deve ser mantida seca. Uma boa medida é enchê-la com areia até a borda. A água dos vasos com flores deve ser trocada a cada 2 ou 3 dias;
* Pneus velhos – devem ser furados para eliminar a água que eventualmente se acumule, guardados em lugar coberto ou jogados fora;
* Caixas d’água – devem ser lavadas periodicamente e tampadas durante todo o tempo;
* Piscinas - o cloro da água das piscinas deve estar sempre no nível adequado;
* Garrafas vazias – devem ser guardadas de cabeça para baixo, em lugares cobertos e as tampas jogadas fora em sacos de lixo;
* Recipientes descartáveis (copos, pratos, travessas, etc.) - devem ser colocados em sacos de lixo para serem recolhidos pelos lixeiros;
* Lixo – nunca deve ser jogado em terrenos baldios, ou nas ruas e calçadas. Além disso, as latas de lixo devem estar sempre tampadas e limpas;
* Bebedouros de animais – precisam ser lavados e a água trocada sistematicamente;
* Depósitos de água – quaisquer que sejam os tipos e a finalidade a que se destinam, se não for possível prescindir deles, devem ser mantidos limpos e tampados com segurança;
* Bromélias – algumas plantas armazenam água entre suas folhas e podem tornar-se eventuais criadouros dos mosquitos. Entre elas, destacam-se as bromélias cujo cultivo é comum nos jardins e residências. Eliminá-las não resolveria o problema da dengue e poderia afetar o equilíbrio ecológico. Como é quase impossível retirar totalmente o grande volume de água que se embrenha pelas folhas, a solução é diluir uma colher de sopa de água sanitária em 1 litro de água limpa e regá-las duas vezes por semana. Esse mesmo preparado pode servir para inibir a formação de criadouros nos vasos de flores ou plantas com água.




quarta-feira, 11 de março de 2015

ABERTURA DO PROJETO Solidariedade: Ação que alimenta a alma e aquece o coração.



Este Projeto surge da necessidade de reverter à conotação extremamente comercial, envolvendo as festividades alusivas a Páscoa. Refletindo sobre o significado original da Páscoa no sentido de partilhar sentimentos cristãos onde família e escola motive os alunos a praticar a solidariedade, estimulando-os a vivenciarem essa pratica no cotidiano e no meio em que vivem tornando assim possível um mundo onde cada um possa, juntamente com o outro se sentir parte integrante de uma sociedade mais fraterna.


III- OBJETIVO GERAL:

Ø      Refletir sobre o papel de cada ser humano na construção de um mundo mais justo e fraterno.
Ø      Rememorar a ressurreição de Jesus como o renascer da vida e da esperança, a possibilidade de recomeçar como um novo ser.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

Ø      Sensibilizar o educando para entender que partilhar não é simplesmente doar um objeto de valor, mas vivenciar...;
Ø      Incentivar a consciência crítico-social dos alunos;
Ø      Descobrir o valor das ações solidárias;
Ø      Despertar no educando o espírito de humildade, fé, simplicidade, amor, caridade e partilha;
Ø      Compreender o sentido cristão da Páscoa
.


ESTRATÉGIAS:

Ø      Divulgação e abertura do projeto com a equipe escolar: Reunir os alunos no pátio, cada ano com o seu professor. Falar sobre o projeto, seu objetivo e logo após a palestra com representante da comunidade. (Obs.: cada funcionário doa um alimento para simbolizar a partilhar).
Ø      Estipular a Coleta do Mês: cada professor coordenador ficará responsável pela a coleta da sua turma. Colocar-se-á caixas de papelão em cada sala para o recebimento dos alimentos.
Ø      Dinâmica: adoção de um valor feito por cada uma das turmas da escola. Cada professor coordenador, durante o período de quaresma trabalhará com um valor com sua turma. Ex. de palavras: Solidariedade, amor, união, respeito, fé, etc.
Ø      Filmes que falam sobre a Páscoa, valores cristãos, solidariedade.
Ø      Jogos na STE;
Ø      Pesquisa na internet sobre Páscoa: o professor depois de reforçar sobre o projeto em sala de aula, levá-los na STE para pesquisar sobre a páscoa.
Ø      Divulgação das atividades no blog e no site da escola: as atividades serão registradas com fotos e colocadas no blog.
Ø      Teatro: símbolos da Páscoa;
Ø      Músicas;
Ø      Produção de texto;
Ø      Desenhos;
Ø      Frases;
Ø      Cartazes;
Ø      Leitura Compartilhada com o tema: Solidariedade.


CULMINÂNCIA DO PROJETO:

Ø      Comemoração com apresentação de atividades desenvolvidas no decorrer do projeto;
Ø      Celebração e Partilha em cada sala de aula com os alunos e professores;
Ø      Entrega de ‘lembrança’, para os alunos;
Ø      Entrega dos donativos arrecadados;
Ø      Celebração e partilha com os professores e administrativo da escola.